CHINA START QUER LEVAR STARTUPS PORTUGUESAS A EXPANDIREM NEGÓCIOS NO PAÍS

CHINA START QUER LEVAR STARTUPS PORTUGUESAS A EXPANDIREM NEGÓCIOS NO PAÍS
February 14, 2017 myportugal

O programa China Start foi recentemente apresentado em Lisboa e quer levar startups e empreendedores portugueses à China, promovendo o conhecimento do mercado, parcerias locais e o acesso a investidores, noticiou a agência Lusa.

O programa China Start foi apresentado pelo vice-reitor da Cheung Kong Graduate School of Business, Bo Ji, e quer dar a oportunidade às startups e empreendedores portugueses de expandirem os seus negócios na China, com base em três princípios-chave: conhecimento, parceiros e financiamento.

O vice-reitor explicou aos empreendedores a possibilidade de conhecerem o mercado, nomeadamente como se fazem negócios naquele país ou saber qual o tipo de consumidor, identifica e ajuda a encontrar os parceiros locais, usando os seus contactos, e promove o contacto com investidores chineses.

Organizada no âmbito da parceria entre a Câmara de Comércio e Indústria Luso-Chinesa (CCILC) e a Cheung Kong Graduate School of Business, uma das principais escolas de negócios da República Popular da China, esta formação de “alto nível e de baixo custo”, como é apresentada, visa identificar as dificuldades para empreendedores quando pensam em expandir os seus negócios para a China e pretende dar ferramentas para o sucesso.

O programa dá a oportunidade às startups de permanecerem cinco dias na China, de 6 a 10 de março, e inclui a análise de ‘case-studies’, discussões de grupo, integra ainda visitas a multinacionais chinesas, como a Alibaba, Tencent, entre outras, além de importantes “pitch” de investimento.

“Uma vez no programa, os participantes passam a ser considerados ‘membro do clube’ deste programa e continuaremos a ajudar, a trazer-lhes os grandes investidores e os parceiros comerciais”, disse Bo Ji.

A participação pode custar um máximo de cinco mil euros, mas os valores poderão ser bem mais baixos para sócios da CCILC ou para equipas.

Esta é a segunda edição do programa, que no ano passado contou com 23 ‘startups’ europeias, nenhuma portuguesa.

“Penso que este ano vamos ter muitos portugueses, contamos que metade dos participantes sejam portugueses. Estamos focados em Portugal, queremos que mais startups portuguesas beneficiem desta oportunidade”, disse Bo Ji, sublinhando o objetivo de “criar pontes entre os dois países”.

“Estamos muito entusiasmados pelo facto de Portugal ter trazido a Web Summit para o país. Mas penso que [o programa] China Start em Portugal é um feito ainda maior do que a Web Summit”, disse Bo Ji.

Fonte: www.ptmm.pt